03/02/2010

O Homem e a Doninha

Um homem armou uma ratoeira; sucedeu cair nela uma doninha. Vendo‐se preso, suplicou‐lhe o malfazejo animal que se lembrasse dos benefícios que lhe havia feito, limpando‐lhe a casa de ratos e de animais daninhos. Não serei ingrato, respondeu‐lhe o homem, pois nada fizeste com tenção de servir‐me; só tratavas de fartar‐te: se ratos não houvesses achado, terias despovoado o meu galinheiro.

MORALIDADE. ‐ Muitos querem que aceitemos como obséquio o que só fazem por prazer ou utilidade própria.

Nenhum comentário:

Destaque

Conta-se de dois peregrinos que decidiram visitar a imortal cidade de Belém, por ocasião das celebrações do Natal. Partiram muitos meses ant...